Conteúdo externo

O seguinte conteúdo vem de parceiros externos. Nós não podemos garantir que esse conteúdo seja exibido sem barreiras.

Pescadores trabalham próximo a Teknaf

(afp_tickers)

Mais de 600.000 refugiados rohingyas fugiram de Mianmar desde que a violência no estado de Rakine teve o seu ápice em agosto, informou a ONU em um comunicado divulgado neste domingo (22).

As autoridades de Bangladesh estão trabalhando para enfrentar uma nova onda de chegadas de rohingyas, pois se estima que milhares de membros dessa minoria muçulmana estão esperando para cruzar a fronteira.

Os refugiados rohingyas foram em massa até Bangladesh após militantes de sua minoria atacarem as forças de segurança birmanesas no estado de Rakáin, onde é registrado uma forte presença militar, a qual a ONU acredita que Mianmar queira realizar uma limpeza étnica.

Agora o Grupo Intersetorial de Coordenação (ISCG), liderado pelas Nações Unidas e que está a frente dos esforços humanitários, informou que cerca de 603.000 refugiados de Rakáin cruzaram a fronteira com Bangladesh desde o dia 25 de agosto.

"A passagem de 14.000 novos refugiados foi confirmado na semana passada", indica o comunicado do ISCG.

Refugiados rohingyas que já se encontram em Bangladesh receberam vídeos de familiares que estão na fronteira, onde se vê milhares de deslocados muçulmanos amontoados em um só local, à espera da oportunidade de atravessar a fronteira.

Neuer Inhalt

Horizontal Line


subscription form

formulário para solicitar a newsletter

Assine a newsletter da swissinfo.ch e receba diretamente os nossos melhores artigos.

swissinfo.ch

Banner da página Facebook da swissinfo.ch em português

AFP