AFP

Nisha Ayub, a ativista LGBT mais conhecida da Malásia, afirmou que o governo iniciou uma campanha de ódio e discriminação contra os gays no país

(afp_tickers)

O governo da Malásia criou um concurso de vídeos sobre "práticas de vida saudável" que oferece até mil dólares para quem explicar como "evitar" a homossexualidade, de acordo com o site do ministério da Saúde.

"Os vídeos têm que prevenir a homossexualidade, controlá-la e obter ajuda", além de explicar "seus problemas e consequências", afirma o site.

Os ativistas que defendem os direitos dos homossexuais condenaram de maneira imediata a iniciativa, em um país de maioria muçulmana.

A homossexualidade está oficialmente proibida na Malásia e pode ser punida com penas de prisão, castigos corporais ou multas.

AFP

 AFP