Conteúdo externo

O seguinte conteúdo vem de parceiros externos. Nós não podemos garantir que esse conteúdo seja exibido sem barreiras.

Milhares de pessoas se reuniram em Paris para apoiar Israel em sua ofensiva na Faixa de Gaza, em 31 de julho de 2014

(afp_tickers)

Aos gritos de "Israel legítima defesa", milhares de pessoas se reuniram nesta quinta-feira em Paris para apoiar Israel em sua ofensiva na Faixa de Gaza.

De acordo com a polícia, 4.500 manifestantes participaram do primeiro protesto pró-Israel organizado na capital francesa desde o início do conflito, em 8 de julho.

Não foram registrados incidentes durante a manifestação em frente à embaixada de Israel, no centro de Paris, convocada por todas as grandes organizações judaicas da França.

"Infelizmente, durante muitas manifestações (pró-palestinas) ouvimos o ódio a Israel e aos judeus (...) Nesta tarde, nesta manifestação, não há ódio ao povo palestino, mas ódio a um movimento terrorista que tem como objetivo a solução final ao povo judeu", declarou Joël Mergui, presidente do Consistório Israelita Central.

Paralelamente, dezenas de manifestantes pró-palestinos se reuniram no norte da capital a pedido do coletivo EuroPalestine.

"Fim à colaboração com o terrorismo do Estado israelense", podia ser lido em um cartaz com imagens de cadáveres infantis. Outros cartazes evocavam a dissolução da Liga da Defesa Judaica (LDJ), estudada pelo Ministério do Interior.

Nesta quinta-feira, o jornal Libération falou de uma possível dissolução da LDJ, um grupo de jovens radicais envolvidos em recentes confrontos com ativistas pró-palestinos.

Após 24 dias de conflito, o número de mortos entre os palestinos chegou a 1.395 e mais de 8.100 feridos, em sua grande maioria civis. Do lado israelense, 56 soldados e três civis morreram.

AFP