AFP

Um jovem tunisino morreu nesta segunda-feira depois de ser atropelado "acidentalmente" por um veículo da polícia em El-Kamur

(afp_tickers)

Um jovem tunisino morreu nesta segunda-feira depois de ser atropelado "acidentalmente" por um veículo da polícia em El-Kamur, região sul do país agitada há semanas por protestos sociais, informou o ministério da Saúde.

"A célula de operações centrais do ministério de Saúde anunciou a morte acidental de um jovem, atropelado por um carro da Guarda Nacional. Trata-se de um manifestante", declarou à AFP o serviço de comunicação do ministério.

Há quase um mês, moradores acampam na região de El-Kamur e impedem a circulação de caminhões para os campos de petróleo e gás de Tatauin, exigindo uma melhor distribuição da riqueza e contratação prioritária nas empresas do setor.

A tensão aumentou nos últimos dias na área, a cerca de duas horas de carro da cidade de Tatauin, e a polícia usou gás lacrimogêneo nesta segunda de manhã para repelir os manifestantes que tentavam entrar o complexo de petróleo e gás.

No sábado, o exército realizou disparos de advertência para dispersar a multidão, pela primeira vez desde que o presidente Beji Caid Essebsi pediu oficialmente aos militares para que protegessem os locais de produção de eventuais bloqueios ligados a movimentos sociais.

Domingo à noite, o ministério da Defesa alertou que o exército iria usar a força contra qualquer um que tentasse entrar nas instalações.

Nesta manhã, episódios de violência também foram registrados na sede do governo de Tatauin (500 km ao sul de Túnis), onde habitantes decidiram se reunir em solidariedade ao movimento de contestação de El-Kamur.

Em funções há menos de um ano, o Governo de união de Yussef Chahed, assim como os de seus predecessores, enfrenta uma revolta social crescente, em particular nas regiões do interior.

AFP

 AFP