AFP

A província de Al-Hoceima é palco de um movimento de protesto que exige maior atenção para o Rif, uma região do norte do Marrocos conhecida pela rebeldia de seus habitantes

(afp_tickers)

Policiais e manifestantes se enfrentaram no final da tarde desta quinta-feira na cidade de Al-Hoceima, epicentro do movimento de protesto popular que abala o norte do Marrocos há sete meses, comprovou a AFP no local.

Dezenas de jovens lançaram pedras contra a polícia de choque, que reagiu com bombas de gás lacrimogêneo, em uma das ruas do bairro de Sidi Abed.

Há doze dias os manifestantes ocupam a mesma zona, mas até o momento os protestos eram pacíficos e começavam apenas após o jejum do ramadã, o mês sagrado dos muçulmanos.

Nesta quinta-feira, por volta das 17H00 local (14H00 Brasília), grupos de jovens se reuniram nas ruas para protestar e quando foram cercados por policiais em um cruzamento, passaram a atirar pedras nas forças de segurança.

Ao menos duas pessoas ficaram feridas: um policial atingido por uma pedra no queixo e um manifestante golpeado na cabeça com um cassetete, constatou a AFP.

Os policiais detiveram vários manifestantes.

Os confrontos acabaram por volta das 19H00, mas os manifestantes prometeram voltar após o final do jejum.

A província de Al-Hoceima é palco de um movimento de protesto que exige maior atenção para o Rif, uma região do norte do Marrocos conhecida pela rebeldia de seus habitantes.

Nos últimos 10 dias as autoridades detiveram quase todos os líderes do movimento, acusados de graves crimes, incluindo "ataque à segurança interna do Estado".

AFP

 AFP