Navegação

Menu Skip link

Funcionalidade principal

Manifestantes pró e contra pacto migratório se enfrentam no Canadá

Manifestantes de extrema direita participam de protesto contra o pacto internacional da ONU sobre a migração, em Ottawa, em 8 de dezembro de 2018

(afp_tickers)

Manifestantes a favor e contra a adesão do Canadá a um pacto da ONU sobre migrações se enfrentaram neste sábado (8) diante do Parlamento, em Ottawa.

Cerca de 200 ativistas de extrema direita que rechaçam os migrantes trocaram insultos com uma centena de defensores do pacto da ONU, até a polícia intervir para separar os dois grupos. Uma pessoa foi presa.

Manifestantes gritavam "rejeitem o pacto migratório", mas seu clamor foi abafado por gritos de "vergonha" e "bem-vindos, refugiados, racistas, vão para casa".

Sylvain Brouillette, porta-voz dos manifestantes de direita, disse que o pacto da ONU arrisca erodir políticas de imigração soberanas - uma visão compartilhada pelo líder conservador de oposição Andrew Scheer e políticos conservadores em outros países.

"O Canadá foi construída sobre a imigração. Aprendemos a viver juntos e encontramos uma forma de fazer isso bem, então não precisamos de um pacto de imigração da ONU para nos dizer o que fazer e como mudar um sistema que funciona", disse Brouillette.

Espera-se que o Pacto Mundial sobre Migração, que não é vinculante, seja adotado formalmente em uma conferência em Marrakesh, no Marrocos, nesta segunda-feira.

A iniciativa estabelece 23 objetivos para melhor gerenciar os fluxos migratórios, quando o número de pessoas que se deslocam pelo mundo aumentou para 250 milhões; o que equivale a 3% da população do planeta.

Entre seus princípios está a proteção dos direitos humanos, incluindo aqueles específicos para crianças, e o reconhecimento da soberania nacional.

Neuer Inhalt

Horizontal Line


subscription form

formulário para solicitar a newsletter

Assine a newsletter da swissinfo.ch e receba diretamente os nossos melhores artigos.