Conteúdo externo

O seguinte conteúdo vem de parceiros externos. Nós não podemos garantir que esse conteúdo seja exibido sem barreiras.

O presidente Rodrigo Duterte se reúne com a comunidade filipina durante uma visita a Hong Kong em 12 de abril de 2018

(afp_tickers)

O governo das Filipinas vetou a entrada em seu território do representante de um partido europeu crítico do presidente Rodrigo Duterte.

A polícia de fronteira deteve Giacomo Filibeck, secretário-geral adjunto do Partido dos Socialistas Europeus, no domingo em Cebu, região central do arquipélago.

O italiano foi expulso por "atividades políticas ilegais", anunciou o partido.

Filibeck viajou às Filipinas para participar de um congresso, por convite do partido opositor Akbayan, que criticou a decisão do governo.

O socialista foi um dos políticos europeus que condenou as "execuções extrajudiciais" de milhares de pessoas na guerra contra as drogas de Duterte.

Desde que chegou ao poder em 2016, o presidente filipino iniciou uma campanha violenta contra o narcotráfico.

A polícia afirma que matou 4.100 viciados e supostos traficantes, mas ativistas dos direitos humanos afirmam que é necessário multiplicar este número por três,

Neuer Inhalt

Horizontal Line


swissinfo.ch

Banner da página Facebook da swissinfo.ch em português

subscription form

formulário para solicitar a newsletter

Assine a newsletter da swissinfo.ch e receba diretamente os nossos melhores artigos.










AFP