Conteúdo externo

O seguinte conteúdo vem de parceiros externos. Nós não podemos garantir que esse conteúdo seja exibido sem barreiras.

Pescadores retiram seus barcos da água antes da chegada do furacão Max em Acapulco, em 14 de setembro de 2017

(afp_tickers)

O furacão Max foi rebaixado a tempestade tropical nesta quinta-feira poucas horas depois de ter tocado o território mexicano na costa do Pacífico, informou o Centro Nacional de Furacões americano (NHC, na sigla em inglês).

Às 00h00 GMT (21H00 horário de Brasília), a tempestade se movia a 13 km/h e apresentava ventos máximos de 110 km/h, segundo o NHC. Estão previstas fortes chuvas no estado de Guerrero (sul) e no vizinho Oaxaca, que foi sacudido por um terremoto de 8,2 graus de magnitude na semana passada.

Max havia tocado terra mais cedo no estado mexicano de Guerrero, na costa do Pacífico, onde a população tomou as precauções antes de sua chegada.

O furacão de categoria 1 na escala Saffir-Simpson chegou à costa mexicana com ventos máximos de 130 km/h, anunciou o Centro Nacional de Furacões (NHC, em inglês), com sede em Miami.

Segundo o relatório, Max se move a 13 km/h e acredita-se que irá ser rebaixado à tempestade tropical nesta tarde e, posteriormente, se dissipará sobre o sul do México durante a sexta-feira.

O NHC acrescentou que Max provocará chuvas intensas em Guerrero e também no oeste do estado vizinho de Oaxaca, atingido na semana passada por um forte terremoto de 8,2 graus que deixou dezenas de mortos nessa região.

O terremoto também atingiu os estados de Chiapas e Tabasco, mas Oaxaca foi o mais afetado, segundo as autoridades.

Antes da chegada do furacão, pescadores e outros navegantes retiraram seus barcos do mar nas praias da baía de Acapulco, conhecida como a zona hoteleira antiga, ou tradicional, que durante a temporada de férias é visitada principalmente por turistas do país.

Uma persistente chuva e fortes ventos já mantinham moradores e visitantes distantes da praia, mostrou a emissora local.

"Estas chuvas torrenciais poderiam causar inundações repentinas e perigosos deslizamentos de terra", advertiu o relatório meteorológico.

A Comissão Nacional de Água (Conagua) do México disse que são esperadas chuvas e rajadas de vento de entre 70 e 80 km/h nos estados de Michoacán e Colima, que tem a costa no Pacífico, além de grandes ondas.

A companhia estatal de eletricidade, CFE, disse que iniciou um plano de contingência diante da passagem de Max, disponibilizando centenas de funcionários e equipes de emergência para atender eventuais problemas, principalmente em Guerrero.

O NHC também relatou que outra tempestade tropical, Norma, se formou no Pacífico e se localizava a 635 quilômetros ao sul de Cabo São Lucas, no noroeste do México.

Na semana passada, o furacão Katia atingiu a costa do México no Atlântico, e posteriormente se dissipou no centro do país sem causar maiores danos.

No início de setembro, a tempestade tropical Lidia deixou sete mortos depois de sua passagem pelo estado de Baixa Califórnia do Sul, no noroeste do México.

Por sua localização e ampla faixa costeira, no Pacífico e no Atlântico, o México é um dos países mais vulneráveis aos furacões.

Neuer Inhalt

Horizontal Line


subscription form

formulário para solicitar a newsletter

Assine a newsletter da swissinfo.ch e receba diretamente os nossos melhores artigos.

swissinfo.ch

Banner da página Facebook da swissinfo.ch em português

AFP