AFP

(26 mai) Migrantes resgatados aguardam para desembarcar no porto de Salerno, Itália

(afp_tickers)

O número de migrantes mortos no mar na última semana subiu para 58, enquanto mais de 100 pessoas estavam desaparecidas, de acordo com um novo balanço estabelecido pela AFP com o Acnur, a OIM e a guarda costeira líbia.

No total, mais de 10.000 migrantes foram resgatados ao largo da costa da Líbia na semana passada.

Ao mesmo tempo, um total de 50 corpos, incluindo os de mulheres e crianças, foram transportados para a Itália, observou o Alto Comissariado da ONU para os refugiados (Acnur).

A Guarda Costeira da Líbia recuperou sete corpos perto de um bote que esvaziou e ao qual se agarravam 77 sobreviventes.

Mas os migrantes resgatados por pescadores egípcios e levados na sexta-feira até Crotone (sul), relataram a representantes do Acnur que 82 de seus companheiros desapareceram quando o bote em que estavam esvaziou depois de algumas horas no mar.

E outros que chegaram na segunda-feira em Pozzallo (Sicília) explicaram a representantes da Organização Internacional para as Migrações (OIM) que 20 pessoas desapareceram no mar nas mesmas condições, de acordo com a OIM nesta terça-feira.

Segundo o Acnur, muitos migrantes também relatam que foram atacados no mar por homens armados que roubaram todos os seus pertences, incluindo o motor de seu barco, enquanto vários foram feridos a tiros.

"Salvar vidas continua a ser a principal prioridade", ressaltou a agência da ONU em um comunicado, elogiando os esforços da Guarda Costeira italiana para coordenar dezenas de operações por dia.

AFP

 AFP