Conteúdo externo

O seguinte conteúdo vem de parceiros externos. Nós não podemos garantir que esse conteúdo seja exibido sem barreiras.

Comboio policial das duas rés deixa tribunal após primeiro dia de julgamento, em 2 de outubro de 2017

(afp_tickers)

O meio-irmão do líder norte-coreano Kim Jong-un sofreu danos em órgãos vitais antes de morrer, vítima de um ataque com produto neurotóxico - informou um médico que testemunhou na Justiça nesta terça-feira (3).

Órgãos vitais, como cérebro e pulmões, incharam-se devido ao aumento de fluido - testemunhou Mohamad Shah Mahmood, o médico que fez a necropsia de Kim Jong-nam.

Acusadas do assassinato na Malásia do meio-irmão caído em desgraça do líder da Coreia do Norte, a indonésia Siti Aisyah e a vietnamita Doan Thi Huong compareceram ao tribunal ontem.

Ambas são rés no processo pelo assassinato de Jong-nam em 13 de fevereiro no aeroporto de Kuala Lumpur, provocada pelos efeitos do agente neurotóxico VX. Se forem consideradas culpadas, podem ser condenadas à morte.

Kim Jong-nam morreu, agonizando por 20 minutos, após receber o VX no rosto. Esse agente letal é visto como uma arma de destruição em massa.

Siti e Doan negaram a tentativa de homicídio e, na Justiça, repetiram que foram enganadas. As duas alegam que acreditavam estarem participando de um programa de televisão.

Os advogados da defesa afirmam que os verdadeiros culpados fugiram da Malásia e acusam o Ministério Público de buscar um veredicto de culpabilidade não importa quem sejam os autores.

Neuer Inhalt

Horizontal Line


subscription form

formulário para solicitar a newsletter

Assine a newsletter da swissinfo.ch e receba diretamente os nossos melhores artigos.

swissinfo.ch

Banner da página Facebook da swissinfo.ch em português

AFP