Conteúdo externo

O seguinte conteúdo vem de parceiros externos. Nós não podemos garantir que esse conteúdo seja exibido sem barreiras.

Melania Trump presenteia as crianças no zoológico de Pequim com bichinhos de pelúcia

(afp_tickers)

A primeira-dama dos Estados Unidos, Melania Trump, visitou nesta sexta-feira a Grande Muralha da China e passou algum tempo com dois dos diplomatas mais proeminentes e fofos da China, os pandas Meng'er e Gu Gu.

Enquanto o presidente Donald Trump participava em uma cúpula no Vietnã após sua visita de Estado à China, sua esposa ficou para trás para ver os inquilinos favoritos do Zoológico de Pequim antes de se dirigir à Grande Muralha.

A ex-top model foi recebida por um grupo de estudantes que agitavam bandeirinhas chinesas e americanas e a levaram ao habitat dos pandas.

Todos vibraram quando Meng'er subiu em uma plataforma e começou a comer bambu. Mengér significa "Fofinho Número 2" em mandarim.

Anteriormente, Trump "interagiu em privado" com Gu Gu, informou o diretor do zoo, Li Xiaoguang, aos jornalistas.

Nascido em 1999, Gu Gu é "um lindo panda com uma ótima memória, características que fazem dele um verdadeiro embaixador do zoológico", afirmou ainda.

O nome Gu Gu não tem um significado em particular, mas a repetição das sílabas é geralmente usada na China para tornar o som de um nome adorável.

Pequim gosta de cultivar o fascínio que o mundo tem pelos pandas como parte de sua diplomacia e costuma enviar espécimes do mamíferos para zoológicos de outros países onde possam procriar e aumentar sua escassa população.

Em 2015, a ex-primeira-dama dos Estados Unidos, Michelle Obama, e sua colega chinesa, Peng Liyuan, escolheram o nome de Bei Bei, um filhote de panda nascido no Zoológico Nacional em Washington.

Os pandas, que têm seu habitat natural na região montanhosa no sudeste da China, possuem uma notória taxa baixa de reprodução e estão sob pressão de vários fatores, como a perda de habitat.

Melania em seguida visitou a Grande Muralha.

Depois de uma curta viagem de teleférico, ela enfrentou o tempo frio para passar cerca de meia hora caminhando pela seção remodelada de Mutianyu da famosa fortificação.

Segundo os jornalistas, ela declarou: "Isso é lindo. Isso é incrível".

Donald Trump, que quer construir seu próprio muro ao longo da fronteira Estados Unidos-México para impedir a imigração ilegal, não visitou a Grande Muralha, apesar dessa ser uma parada habitual para os presidentes americanos.

A China levou o casal Trump para uma visita particular à Cidade Proibida na quarta-feira e ofereceu a eles um jantar de gala na quinta-feira.

O presidente escreveu no Twitter que sua esposa também irá ao Alasca para se encontrar com as tropas dos Estados Unidis.

O chefe de Estado americano se encontra no Vietnã para participar na cúpula do Fórum de Cooperação Econômica Ásia-Pacífico (Apec) e, em seguida, dirigirá às Filipinas no domingo para a etapa final da sua visita a cinco cinco países da Ásia.

Neuer Inhalt

Horizontal Line


subscription form

formulário para solicitar a newsletter

Assine a newsletter da swissinfo.ch e receba diretamente os nossos melhores artigos.

swissinfo.ch

Banner da página Facebook da swissinfo.ch em português

AFP