Conteúdo externo

O seguinte conteúdo vem de parceiros externos. Nós não podemos garantir que esse conteúdo seja exibido sem barreiras.

Um menino de 12 anos morreu ao contrair antraz, e dezenas de pessoas foram hospitalizadas por medo de um possível contágio na região de Yamalo-Nenetsky, norte da Rússia

(afp_tickers)

Um menino de 12 anos morreu ao contrair antraz, e dezenas de pessoas foram hospitalizadas por medo de um possível contágio na região de Yamalo-Nenetsky, norte da Rússia, informaram nesta segunda-feira autoridades locais.

Situada 2.000 km a nordeste de Moscou, as autoridades do local decidiram colocar esta região remota sob quarentena durante uma semana, depois de detectar a morte de ao menos nove renas infectadas pela bactéria Bacillius anthracis.

"Fui comunicado da morte de uma criança em nosso hospital. Não tenho palavras para expressar a dor" por isso, disse o governador Dmitry Kobylkin.

"A infecção demonstrou que é traiçoeira. Depois de 75 anos voltou e levou a vida de um menino", acrescentou.

Trata-se do primeiro surto de antraz desde 1941 nesta região pouco povoada, cujos habitantes pertencem em sua maioria a tribos nômades que se dedicam à criação de renas.

Um total de 72 pessoas, entre elas 41 crianças, foram hospitalizadas na principal cidade da região, Salejard, para limitar o risco de contágio entre a população.

As análises médicas estabeleceram que oito destas pessoas estão contaminadas por esta infecção aguda, segundo as autoridades.

No total, mais de 2.300 renas supostamente infectadas foram abatidas na zona, que conta com mais de 250.000 exemplares da espécie.

Neuer Inhalt

Horizontal Line


subscription form

formulário para solicitar a newsletter

Assine a newsletter da swissinfo.ch e receba diretamente os nossos melhores artigos.

swissinfo.ch

Banner da página Facebook da swissinfo.ch em português

AFP