AFP

A diversificação é a nova tendência das redes de tráfico do chamado Triângulo de Ouro, no cruzamento entre Laos, Tailândia e Mianmar

(afp_tickers)

A diversificação é a nova tendência das redes de tráfico do chamado Triângulo de Ouro, no cruzamento entre Laos, Tailândia e Mianmar, alertou a ONU nesta quinta-feira.

Esta região do sudeste asiático, a segunda maior zona produtora depois da América do Sul, era famosa até pouco tempo pela produção de heroína e metanfetamina. Mas nos laboratórios clandestinos desta área são fabricados com frequência novas drogas, segundo um relatório do Escritório das Nações Unidas sobre as Drogas e o Crime (UNODC, em inglês).

"O mundo das drogas se tornou mais complexo", com 168 novas substâncias detectadas em 11 países do sudeste asiático desde 2008, explicou Martin Raithelhuber durante a apresentação deste relatório em Bangcoc. "Enfrentamos uma grande quantidade de novas substâncias das quais ninguém ouviu falar, mas que estão aqui", acrescentou.

Essas drogas, conhecidas como novas substâncias psicoativas (NPS, em inglês), imitam os produtos tradicionais como o ecstasy ou a cannabis, sem ter a mesma estrutura molecular.

Em um mercado dominado pela metanfetamina e pela heroína, as novas drogas são mais estimulantes, alucinógenas ou opiáceas. Muitas vezes são combinadas com substâncias clássicas para potencializar o seu efeito a um custo mínimo.

Entre os novos produtos, o fentanil, um opiáceo 100 vezes mais forte do que a heroína, é cada vez mais popular na América do Norte.

Segundo a UNODC, a maior parte das NPS detectadas no sudeste asiático é de drogas similares ao fentanil, destinadas aos mercados americano e europeu.

AFP

 AFP