Uma equipe de mergulhadores encontrou a segunda caixa preta do avião da Lion Air que caiu na costa da Indonésia em 29 de outubro, deixando 189 mortos, anunciaram nesta segunda-feira as autoridades indonésias.

A gravação das comunicações da tripulação ajudará os investigadores a entender por que o aparelho, que acabara de entrar em serviço, caiu no mar 13 minutos depois de decolar de Jacarta.

A primeira caixa preta, que contém os registros dos dados técnicos, foi encontrada logo após o acidente e mostrou que houve problemas com o velocímetro.

Durante o último voo do Boeing, os pilotos perguntaram aos controladores de tráfego qual era a velocidade e a altitude do avião, e eles disseram que tinham "problemas de controle de vôo", de acordo com o relatório preliminar dos pesquisadores indonésios.

O aparelho havia sofrido problemas semelhantes em um voo anterior, aparentemente devido às medições erradas fornecidas pelos captadores, mas os pilotos entraram em piloto automático para recuperar o controle do dispositivo.

Os investigadores não explicaram por que os pilotos do último vôo JT610 não puderam fazer o mesmo.

A Boeing estabeleceu um novo sistema antitravamento nos modelos mais recentes do seu 737-MAX.

Mas um mau funcionamento da AOA pode resultar em um resultado fatal e forçar os pilotos a ter que recuperar o controle das máquinas.

Segundo especialistas em aviação, as caixas pretas permitem que 90% das causas dos acidentes sejam esclarecidas.

Neuer Inhalt

Horizontal Line


subscription form

formulário para solicitar a newsletter

Assine a newsletter da swissinfo.ch e receba diretamente os nossos melhores artigos.