Navigation

Merkel considera grave caso de agente duplo

Merkel (e) disse que se as informações estiverem exatas, seria um caso grave, em entrevista coletiva em Pequim ao lado do primeiro-ministro chinês, Li Keqiang. afp_tickers
Este conteúdo foi publicado em 07. julho 2014 - 11:15
(AFP)

A chanceler alemã Angela Merkel considerou grave o caso do agente duplo detido na Alemanha, que poderia ter trabalhado também para o governo dos Estados Unidos.

"Se as informações estiverem exatas, seria um caso grave", disse Merkel em uma entrevista coletiva em Pequim ao lado do primeiro-ministro chinês, Li Keqiang.

"Isto é, no meu entendimento, uma evidente contradição com o que considero uma cooperação de total confiança entre as agências (de inteligência) e países sócios", completou.

Na quarta-feira da semana passada, um agente do Serviço de Inteligência Alemão (BND) que trabalhava desde 2012 para a CIA foi detido. Segundo a imprensa alemã, ele teria transmitido mais de 200 documentos aos Estados Unidos.

O agente teria reunido informações sobre a Comissão Parlamentar de Inquérito criada após as revelações de suposta espionagem na Alemanha da Agência de Segurança Nacional (NSA) americana.

O ministro alemão das Relações Exteriores, Frank-Walter Steinmeier, pediu no domingo ao governo dos Estados Unidos que esclareça a situação "o mais rápido possível".

Angela Merkel começou no domingo uma visita de três dias a China, a sétima desde que chegou ao poder em 2005, com uma agenda principalmente econômica.

Este artigo foi automaticamente importado do nosso antigo site para o novo. Se há problemas com sua visualização, pedimos desculpas pelo inconveniente. Por favor, relate o problema ao seguinte endereço: community-feedback@swissinfo.ch

Partilhar este artigo

Participe da discussão

Com uma conta SWI, você pode contribuir com comentários em nosso site.

Faça o login ou registre-se aqui.