Conteúdo externo

O seguinte conteúdo vem de parceiros externos. Nós não podemos garantir que esse conteúdo seja exibido sem barreiras.

Merkel (e) disse que se as informações estiverem exatas, seria um caso grave, em entrevista coletiva em Pequim ao lado do primeiro-ministro chinês, Li Keqiang.

(afp_tickers)

A chanceler alemã Angela Merkel considerou grave o caso do agente duplo detido na Alemanha, que poderia ter trabalhado também para o governo dos Estados Unidos.

"Se as informações estiverem exatas, seria um caso grave", disse Merkel em uma entrevista coletiva em Pequim ao lado do primeiro-ministro chinês, Li Keqiang.

"Isto é, no meu entendimento, uma evidente contradição com o que considero uma cooperação de total confiança entre as agências (de inteligência) e países sócios", completou.

Na quarta-feira da semana passada, um agente do Serviço de Inteligência Alemão (BND) que trabalhava desde 2012 para a CIA foi detido. Segundo a imprensa alemã, ele teria transmitido mais de 200 documentos aos Estados Unidos.

O agente teria reunido informações sobre a Comissão Parlamentar de Inquérito criada após as revelações de suposta espionagem na Alemanha da Agência de Segurança Nacional (NSA) americana.

O ministro alemão das Relações Exteriores, Frank-Walter Steinmeier, pediu no domingo ao governo dos Estados Unidos que esclareça a situação "o mais rápido possível".

Angela Merkel começou no domingo uma visita de três dias a China, a sétima desde que chegou ao poder em 2005, com uma agenda principalmente econômica.

AFP