Conteúdo externo

O seguinte conteúdo vem de parceiros externos. Nós não podemos garantir que esse conteúdo seja exibido sem barreiras.

Merkel e Putin se reúnem no Rio de Janeiro

(afp_tickers)

O presidente russo, Vladimir Putin, e a chanceler alemã, Angela Merkel, defenderam que sejam retomadas "urgentemente" as negociações entre o governo e os separatistas pró-Moscou na Ucrânia - informaram os porta-vozes do Kremlin e do governo alemão, neste domingo.

Em um encontro de 1h15, totalmente dedicado à situação na Ucrânia, "Putin e Merkel tiveram um diálogo construtivo, em profundidade, no qual discutiram em detalhe as opções possíveis para solucionar a situação na Ucrânia", que "tende a se deteriorar", declarou o porta-voz russo, Dimitri Peskov, citado pela agência de notícias Ria Novosti.

Ambos destacaram "a necessidade de se retomar urgentemente o grupo de contato sobre a Ucrânia, possivelmente, em um formato de videoconferência", acrescentou Peskov.

O porta-voz do governo alemão, que também mencionou o formato de videoconferência, classificou de "séria" a situação no leste do país. Declarou ainda que tanto Putin quanto Merkel defenderam "negociações diretas" entre Kiev e os rebeldes pró-russos.

Entre as medidas propostas para sair do conflito, os dois assessores destacaram a declaração de um cessar-fogo e a troca de prisioneiros, além da retomada das atividades de vigilância - segundo Moscou - e o controle das fronteiras entre Rússia e Ucrânia - por sugestão de Berlim.

O presidente russo também manifestou sua "grande preocupação com as ações agressivas" de Kiev, em referência à queda de um obus em território russo, perto da fronteira com a Ucrânia. Uma pessoa morreu, segundo Peskov.

Merkel e Putin estão no Rio de Janeiro, para acompanhar a final da Copa do Mundo.

AFP