Conteúdo externo

O seguinte conteúdo vem de parceiros externos. Nós não podemos garantir que esse conteúdo seja exibido sem barreiras.

Agentes limpam área do aeroporto internacional de Seul em 17 de junho

(afp_tickers)

A Coreia do Sul anunciou nesta quinta-feira a morte de mais três pessoas pelo coronavírus MERS, que já provocou 23 óbitos no país, onde há 165 infectados.

Segundo o ministério da Saúde, 24 pacientes já receberam alta e 17 se encontram em situação estável.

Os contágios ocorreram principalmente nos hospitais, onde alguns pacientes diagnosticados nos últimos dias não estavam entre as pessoas colocadas em quarentena.

O primeiro caso, detectado em 20 de maio, foi o de um homem de 68 anos diagnosticado com o vírus depois de retornar de uma viagem ao Oriente Médio.

Segundo as autoridades, a maioria das vítimas fatais já tinha problemas de saúde antes de contrair o coronavírus.

O coronavírus MERS (Síndrome Respiratória do Oriente Médio), contra o qual não existe tratamento ou vacina, apresenta uma taxa de mortalidade de quase 35%, segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS).

Na quarta-feira, a Organização Mundial da Saúde (OMS) afirmou que a epidemia de MERS na Coreia do Sul é um sinal de alerta para que todos os países aumentem a vigilância.

"Todos os países devem estar preparados para a possibilidade de focos similares a este e de outras doenças infecciosas graves", destacou a organização.

Apesar do alerta, a OMS decidiu não declarar estado de emergência internacional pelo coronavírus MERS porque ainda "não se apresentam as condições".

AFP