Conteúdo externo

O seguinte conteúdo vem de parceiros externos. Nós não podemos garantir que esse conteúdo seja exibido sem barreiras.

(Arquivo) O rádio-telescópio Atacama Large Millimeter Array (ALMA) no deserto do Atacama, no Chile, no dia 12 de março de 2013

(afp_tickers)

Com a ajuda do potente radiotelescópio Alma, localizado no norte do Chile, uma equipe de astrônomos detectou, pela primeira vez, moléculas de metanol (álcool metílico) em um jovem disco de formação planetária, uma descoberta essencial para compreender os processos químicos na gênesis do universo.

A detecção da molécula orgânica de metanol é de grande importância por ter sido encontrada em um disco protoplanetário - disco de gás e poeira que orbita uma estrela recém-formada - de uma jovem estrela (TW Hydrae), disseram astrônomos do Alma em um comunicado divulgado na quarta-feira em Santiago.

Para os pesquisadores, o sistema do disco protoplanetário da estrela TW Hydrae é parecido com o nosso sistema solar durante a sua formação, há mais de quatro bilhões de anos.

"A presença de metanol em estado gasoso no disco é um indicador inequívoco dos ricos processos químicos orgânicos que têm lugar em uma etapa inicial da formação de estrelas e planetas", afirmou Ryan A. Loomis, do centro Harvard-Smithsonian de Astrofísica, coautor do estudo.

A descoberta, publicada na revista científica Astrophysical Journal, "tem um impacto na nossa compreensão sobre como a matéria orgânica se acumula em sistemas planetários muito jovens", acrescentou o cientista.

O estudo contribuirá para a busca de exoplanetas que possam abrigar vida, ressalta o Alma.

O rádio-observatório Atacama Large Millimeter Array (Alma), é composto por mais de 60 antenas instaladas nos Observatórios do Llano de Chajnantor, no norte do Chile, a mais de 5.000 metros de altura.

O Alma é uma associação entre o Observatório Europeu Austral (ESO), a Fundação Nacional de Ciência dos Estados Unidos e os Institutos Nacionais de Ciências Naturais do Japão, em cooperação com o Chile.

AFP