Conteúdo externo

O seguinte conteúdo vem de parceiros externos. Nós não podemos garantir que esse conteúdo seja exibido sem barreiras.

Milhares de estudantes estavam reunidos nesta quinta-feira em Barcelona em apoio a uma proclamação de independência da Catalunha, e em rejeição a uma possível intervenção na autonomia regional pelo governo central espanhol

(afp_tickers)

Milhares de estudantes estavam reunidos nesta quinta-feira em Barcelona em apoio a uma proclamação de independência da Catalunha, e em rejeição a uma possível intervenção na autonomia regional pelo governo central espanhol.

Com cravos vermelhos e bandeiras da independência amarradas ao pescoço, os manifestantes marchavam pelas ruas do centro da capital catalã, constatou um jornalista da AFP.

"Eles não podem prender um povo inteiro. Não à repressão franquista", lia-se em uma grande faixa, enquanto os alunos gritavam "Fora forças de ocupação!".

"Estamos aqui para defender as instituições catalãs. O governo espanhol quer aplicar o artigo 155 [da Constituição] que desabilita o governo catalão", explicou Pol Moratalla, de 18 anos.

"Queremos tanto a independência, continuaremos protestando e reivindicando nossos direitos", disse Judith Campos, 19 anos.

O movimento Universidade pela República e o sindicato dos estudantes convocaram um dia de greve nas universidades nas quatro principais cidades da Catalunha - Barcelona, ​​Girona, Lleida e Tarragona - para protestar contra o artigo 155, que permite suspender a autonomia de uma região.

O Senado decidirá na sexta-feira se autoriza a aplicação do artigo solicitado pelo governo do conservador Mariano Rajoy, uma medida nunca usada em quatro décadas de democracia na Espanha.

Por meio disso, Rajoy quer destituir o governo catalão e limitar os poderes do parlamento regional, entre outras medidas, até convocar eleições regionais em seis meses.

Neuer Inhalt

Horizontal Line


subscription form

formulário para solicitar a newsletter

Assine a newsletter da swissinfo.ch e receba diretamente os nossos melhores artigos.

swissinfo.ch

Banner da página Facebook da swissinfo.ch em português

AFP