Conteúdo externo

O seguinte conteúdo vem de parceiros externos. Nós não podemos garantir que esse conteúdo seja exibido sem barreiras.

Manifestante segura cartaz onde pode se ler "Parem o AFD" durante protesto em Berlim contra a extrema-direita alemã

(afp_tickers)

Milhares de pessoas foram às ruas neste domingo (22) em Berlim contra o partido de extrema-direita Alternativa para Alemanha (AfD), que entrará na próxima semana no Parlamento.

Os manifestantes caminharam segurando cartazes com dizeres como "Parem a AfD", "Minha voz contra a provocação" ou "Meu coração bate por diversidade".

O partido anti-imigração e islamofóbico obteve 12,6% dos votos nas eleições legislativas ocorridas em setembro, tornando-se assim a terceiro maior força política da Alemanha.

A entrada da AfD no Bundestag se trata de uma guinada na história alemã pós-guerra, já que se trata da primeira formação de extrema-direita a ter essa representação desde a Segunda Guerra Mundial.

Sem adotar o discurso dos pequenos grupos nazistas, o AfD tem membros que pregam o fim do arrependimento pelos crimes nazistas.

Um integrante do AfD, Björn Höcke, chamou em janeiro o Memorial do Holocausto em Berlim de "memorial da vergonha".

O partido conseguiu atrair eleitores do conservador partido CDU, de Angela Merkel, aproveitando-se do descontentamento provocado pela política da chanceler de acolher mais de um milhão de refugiados em 2015.

"Quando o AfD ocupar o Bundestag pela primeira vez no dia 24 de outubro, terá que entender que em nosso Parlamento não há espaço para o racismo, a discriminação ou a falsificação da história", declarou o movimento popular Campact, que organizou a manifestação.

Neuer Inhalt

Horizontal Line


subscription form

formulário para solicitar a newsletter

Assine a newsletter da swissinfo.ch e receba diretamente os nossos melhores artigos.

swissinfo.ch

Banner da página Facebook da swissinfo.ch em português

AFP