Navigation

Milhares protestam na Argentina, Colômbia e Chile contra a violência contra a mulher

Uma ativista exibe um cartaz contra a violência contra a mulher numa manifestação em Santiago, em 25 de novembro de 2019 afp_tickers
Este conteúdo foi publicado em 26. novembro 2019 - 02:05
(AFP)

No Dia Internacional da Eliminação da Violência contra a Mulher, milhares de pessoas participaram nesta segunda-feira (25) de manifestações na na Argentina, Colômbia e Chile.

Em Buenos Aires, capital argentina, as manifestantes exibiam cartazes exigindo o fim das agressões contra as mulheres, além de defender a legalização do aborto, numa passseata que terminou na histórica Plaza de Mayo, em frente à sede do governo.

No Chile, pelo menos duas mil pessoas participaram de uma marcha em frente ao palácio La Moneda com cartazes onde estava escrito "Não há Acordo sem nós" e "com luto e com raiva", num ato que também lembrou a crise social e política que atravessa que atinge o país há mais de um mês.

O mesmo ocorreu na Colômbia, onde milhares de mulheres clamaram por respeito por seu direitos e se amnifestaram contra o governo do presidente Iván Duque.

Este artigo foi automaticamente importado do nosso antigo site para o novo. Se há problemas com sua visualização, pedimos desculpas pelo inconveniente. Por favor, relate o problema ao seguinte endereço: community-feedback@swissinfo.ch

Partilhar este artigo

Participe da discussão

Com uma conta SWI, você pode contribuir com comentários em nosso site.

Faça o login ou registre-se aqui.