Conteúdo externo

O seguinte conteúdo vem de parceiros externos. Nós não podemos garantir que esse conteúdo seja exibido sem barreiras.

Policiais durante confronto com ativistas opositores em protesto em Caracas, em 22 de junho de 2017

(afp_tickers)

Um militar da Guarda Nacional venezuelana morreu nesta terça-feira após levar um tiro na cidade de Maracay, capital do estado central de Aragua, em meio a distúrbios e saques, informou o Ministério Público.

O MP informou que o sargento Ronny Parra, de 26 anos, tentava "restabelecer a ordem pública nos arredores de estabelecimentos comerciais" na região de El Castaño, quando "várias pessoas armadas" atiraram nele na madrugada desta terça-feira.

"Ficou ferido na altura da virilha e foi transferido para o Centro Médico de Maracay, onde morreu horas depois", acrescentou o boletim do organismo, que já iniciou as investigações sobre o ocorrido.

Depois de um bloqueio de ruas em todo o país, convocada para a segunda-feira pela oposição para exigir a saída do presidente Nicolás Maduro do poder, registraram-se confrontos e distúrbios em Maracay, com cerca de trinta lojas e organismos do Estado saqueados e destruídos.

Com a morte do militar, chegam a 76 os mortos nas manifestações conta o governo, iniciadas em 1º de abril.

Segundo o ministro do Interior e Justiça, general Néstor Reverol, mais de 200 pessoas foram detidas por saques e distúrbios em Maracay.

"Até o momento são realizadas perícias, como a inspeção técnica do local do ocorrido, fixação fotográfica, planimetria e trajetória balística, entre outros procedimentos", acrescentou o Ministério Público.

AFP