Conteúdo externo

O seguinte conteúdo vem de parceiros externos. Nós não podemos garantir que esse conteúdo seja exibido sem barreiras.

(Arquivo) O ministro alemão das Finanças, Wolfgang Schäuble

(afp_tickers)

O ministro alemão de Finanças, o influente Wolfgang Schäuble, celebrou nesta segunda-feira (9) a "boa situação econômica" da zona do euro, após anos de crises, em sua última reunião com os pares do Eurogrupo em Luxemburgo.

"A zona euro está em boa situação (...) Conseguimos durante oito anos de crise do euro manter a moeda estável", afirmou Schäuble antes de uma reunião de ministros dos 19 países que compartilham a divisa. "Conseguimos isso durante um período difícil".

Fiel à chanceler Angela Merkel, apesar de não concordarem sempre, Schäuble se prepara para assumir a presidência do Parlamento alemão, aos 75 anos, após controlar com rigor as finanças do país ao longo de oito anos e de impor suas soluções às nações em crise.

"Não é fácil, mas, depois de oito anos, é suficiente", disse o ainda responsável pelas Finanças alemãs, que recebeu elogios de seus equivalentes, começando pelo presidente do Eurogrupo, o holandês Jeroen Dijsselbloem, que destacou sua "experiência", sua "sabedoria" e seu "rigor".

Para o espanhol Luis de Guindos, que vai se tornar o ministro mais velho após a partida do alemão, "você pode concordar, ou não com Schäuble, mas, há algo inegável: deixou sua marca no Eurogrupo".

"Nada será exatamente igual", escreveu o ministro grego de Finanças, Euclides Tsakalotos, na bandeira da UE que seus pares dedicaram a Schäuble.

A Eslováquia também lhe deu de presente um maço de notas de 100 euros com seu rosto, enquanto a França ofereceu uma garrafa de vinho Bordeaux de 2004, diretamente da adega do Ministério de Economia francês.

Direto, obstinado e sem papas na língua, sua menor declaração era escutada pelo Eurogrupo, onde nada se decidia sem seu consentimento.

No ponto crítico da crise grega, em 2015, o poderoso ministro, inflexível durante as negociações para salvar a Grécia, chegou a defender a saída temporária do país da zona euro, o que lhe rendeu forte animosidade em Atenas.

O ex-ministro de Finanças grego, Yannis Varoufakis, comentou que "Schäuble vai embora, mas o 'schäublismo' permanece mais forte que nunca".

Em Luxemburgo, a despedida foi um "verdadeiro momento de emoção para todos", segundo o comissário europeu para Assuntos Econômico, Pierre Moscovici, para quem Schäuble é um "cara genial", "um homem de grande inteligência, de imensa coragem, com grande senso de humor".

Neuer Inhalt

Horizontal Line


subscription form

formulário para solicitar a newsletter

Assine a newsletter da swissinfo.ch e receba diretamente os nossos melhores artigos.

swissinfo.ch

Banner da página Facebook da swissinfo.ch em português

AFP