Conteúdo externo

O seguinte conteúdo vem de parceiros externos. Nós não podemos garantir que esse conteúdo seja exibido sem barreiras.

Homem caminha por açude seco em Las Canoas, 60 km de Manágua, em 30 de julho de 2014

(afp_tickers)

Ministros da Agricultura da América Central, do México e da Colômbia avaliaram nesta quarta-feira os danos causados pela seca na região, a fim de coordenar ações junto a organismos internacionais, informou o governo nicaraguense.

"Esta manhã nossos ministros (da Agricultura) estiveram em videoconferência (...) analisando a situação e o que estamos fazendo" para aliviar o impacto da seca, declarou a porta-voz do governo, a primeira-dama Rosario Murillo, a veículos de comunicação oficiais.

Murillo disse que participaram da reunião os ministros dos países-membros do Projeto Meso-América, atualmente presidido pela Colômbia.

O encontro foi para compartilhar "as dificuldades, para encontrar soluções" e buscar assistência "com organismos especializados do continente, do mundo, para ver o que se pode fazer", acrescentou Murillo, sem dar mais informações sobre os temas tratados.

Uma forte seca, preâmbulo do fenômeno meteorológico El Niño, afeta este ano América Central, Colômbia e México, causando prejuízos na agricultura e na pecuária.

A crise levou Costa Rica, Honduras e Guatemala a declararem situação de emergência nas zonas mais afetadas para assistir os agricultores.

Na última terça-feira, 5 de agosto, a Nicarágua admitiu que o país, um dos mais pobres da região, "vive a pior seca desde 1976" e que importará arroz, feijão e milho para evitar a escassez de alimentos.

AFP