AFP

O presidente da Bolívia, Evo Morales, durante discurso em Sucre, no dia 4 de novembro de 2016

(afp_tickers)

O presidente boliviano, Evo Morales, acusou nesta quinta-feira os Estados Unidos de tramar a derrubada do Nicolás Maduro como presidente da Venezuela, para castigar os governos "anti-imperialistas", após os protestos que quarta-feira fizeram três mortes naquele país.

"O plano do império é derrubar o Pdte. constitucional eleito pela #Venezuela @NicolasMaduro, como um aviso aos governos anti-imperialistas", declarou o presidente boliviano em sua conta no Twitter.

Ele acrescentou que "qualquer conspiração interna ou intervenção externa será para apoderar-se do petróleo venezuelano", uma afirmação já feita em outras ocasiões.

O presidente mantém o apoio ao seu aliado político Maduro, que enfrenta manifestações convocadas pela oposição há três semanas, que deixaram um total de oito mortos.

A oposição da Venezuela convocou novas manifestações para esta quinta-feira para exigir eleições antecipadas para tirar Maduro do poder.

AFP

 AFP