Conteúdo externo

O seguinte conteúdo vem de parceiros externos. Nós não podemos garantir que esse conteúdo seja exibido sem barreiras.

O antigo rei Miguel I da Romênia, no dia 25 de outubro de 2011

(afp_tickers)

O antigo rei Miguel I da Romênia, um dos últimos sobreviventes -entre os chefes de Estado- da Segunda Guerra Mundial, morreu nesta terça-feira (5) aos 96 anos na Suíça, país onde residia, anunciou a sua família.

Miguel I, que tinha câncer, se retirou em março de 2016 da vida pública e entregou os seus deveres a sua filha mais velha, Margarida, de 68 anos.

Nascido em 25 de outubro de 1921 em Sinaia (120 quilômetros ao norte de Bucareste), reinou em dois períodos: de 1927 a 1930 e de 1940 a 1947.

Em agosto de 1944, quando a Romênia estava ao lado da Alemanha nazista, prendeu o marechal Ion Antonescu, que havia instaurado a ditadura, e colocou o país junto aos Aliados.

Três anos depois, foi obrigado a abdicar e a se exilar devido ao novo regime comunista.

Refugiado no Reino Unido e depois na Suíça, o ex-monarca esperou durante muito tempo para poder voltar a reinar. Com a queda de Nicolae Ceausescu no fim de 1989, Miguel I tentou em várias ocasiões voltar ao seu país natal, mas obteve uma resposta negativa do novo presidente, Ion Iliescu, ligado aos comunistas.

Em 2002, com os social-democratas no poder, instalou-se em Bucareste, onde levou uma vida discreta. Mas em 2016 voltou à Suíça para tratar seu câncer.

Descendente da dinastia dos Hohenzoller-Sigmarignen, e tataraneto da rainha Victoria da Inglaterra, casou-se com Anne de Bourbon-Parma, falecida em agosto de 2016. O casal teve cinco filhas.

Neuer Inhalt

Horizontal Line


subscription form

formulário para solicitar a newsletter

Assine a newsletter da swissinfo.ch e receba diretamente os nossos melhores artigos.

swissinfo.ch

Banner da página Facebook da swissinfo.ch em português

AFP