Conteúdo externo

O seguinte conteúdo vem de parceiros externos. Nós não podemos garantir que esse conteúdo seja exibido sem barreiras.

(Arquivo) Federico Luppi

(afp_tickers)

O ator argentino Federico Luppi, figura lendária do cinema e do teatro, com uma presença imponente em frente às câmeras, morreu nesta sexta-feira (20) aos 81 anos, hospitalizado devido a um acidente doméstico, informaram fontes familiares.

Luppi tinha também a nacionalidade espanhola, país em que se radicou em 2001. Sofreu perseguições e ameaças de morte por agentes da ditadura argentina (1976-83) por suas ideias de esquerda e peronistas.

O ministro da Cultura, Pablo Avelluto, se despediu nas redes sociais com um tuíte: "Adeus a Federico Luppi. Um dos nossos maiores atores. Nos deixa dezenas de interpretações memoráveis no cinema e no teatro".

Durante sua extensa trajetória, o artista participou de mais de 80 filmes e recebeu prêmios nos festivais de Gramado, San Sebastián, Sitges, Fort Lauderdale, Havana, Huelva, Valladolid e Los Angeles, entre outros.

Sob a direção do cineasta mexicano Guillermo del Toro, atuou em "Cronos" (1993), "A Espinha do Diabo" (2001) e "O Labirinto do Fauno" (2006).

Seu último filme foi "Neve Negra" (2017), de Martín Hodara, ao lado do também premiado ator Ricardo Darín.

Luppi foi integrante do mítico grupo Gente de Teatro, nos anos 1960, fundador de um estilo realista e ousado que influenciou várias gerações de atores e autores.

Neuer Inhalt

Horizontal Line


subscription form

formulário para solicitar a newsletter

Assine a newsletter da swissinfo.ch e receba diretamente os nossos melhores artigos.

swissinfo.ch

Banner da página Facebook da swissinfo.ch em português

AFP