Navigation

Morre Hélio Bicudo, co-fundador do PT e um dos autores do impeachment

Hélio Bicudo, nesta foto de 13 de março de 2016, durante protesto contra a presidenta Dilma Rousseff e o Partido dos Trabalhadores (PT) que ele cofundou, em São Paulo afp_tickers
Este conteúdo foi publicado em 31. julho 2018 - 20:57
(AFP)

O jurista Hélio Bicudo, um dos fundadores em 1980 do Partido dos Trabalhadores (PT) junto com Luiz Inácio Lula da Silva antes de ser um dos impulsionadores em 2016 do impeachment à presidente Dilma Rousseff, morreu nesta terça-feira (31), aos 96 anos, informaram parentes próximos.

A morte do advogado, em São Paulo, decorreu por diversos problemas de saúde.

Bicudo foi um importante militante a favor dos direitos humanos, muito crítico aos esquadrões da morte durante a ditadura militar (1964-1985). Chegou a presidir a Comissão Interamericana de Direitos Humanos (CIDH).

O também ex-deputado e vice-prefeito de São Paulo se desvinculou ao PT em 2005 depois que veio à tona o escândalo de corrupção do "Mensalão", um sistema de compra de apoio parlamentar mediante subornos, durante o primeiro governo de Lula.

Seu distanciamento com o PT foi selado quando ele se tornou um dos três advogados que elaboraram o pedido de destituição de Dilma Rousseff, a herdeira política de Lula, acusada de maquiar as contas públicas.

"Dizer que o impeachment é um golpe é equivocado. Não é um golpe. A Constituição diz que há crime quando um presidente comete atos contra as leis", disse Bicudo em entrevista à AFP em 2015.

O presidente conservador Michel Temer prestou homenagem a Bicudo nesta terça-feira.

"O Brasil perdeu hoje Hélio Bicudo, um homem notável. Ao longo de sua vida, pudemos conhecer toda sua trajetória de defesa dos valores democráticos. Minhas sinceras condolências aos seus familiares", escreveu o presidente no Twitter.

Este artigo foi automaticamente importado do nosso antigo site para o novo. Se há problemas com sua visualização, pedimos desculpas pelo inconveniente. Por favor, relate o problema ao seguinte endereço: community-feedback@swissinfo.ch

Partilhar este artigo

Participe da discussão

Com uma conta SWI, você pode contribuir com comentários em nosso site.

Faça o login ou registre-se aqui.