Conteúdo externo

O seguinte conteúdo vem de parceiros externos. Nós não podemos garantir que esse conteúdo seja exibido sem barreiras.

Liliane Bettencourt, herdeira da L'Oréal, no dia 12 de outubro de 2011, em Paris

(afp_tickers)

Liliane Bettencourt, herdeira do grupo de cosméticos L'Oréal e a mulher mais rica do mundo segundo a revista americana "Forbes", faleceu na madrugada desta quinta-feira (21), aos 94 anos - anunciou sua família nesta quinta-feira.

"Liliane Bettencourt faleceu esta noite em sua residência. Ela faria 95 anos em 21 de outubro. Minha mãe partiu tranquilamente", escreveu sua filha, Françoise Bettencourt Meyers, em um comunicado.

À frente de uma fortuna estimada em quase 40 bilhões de dólares pela "Forbes", em 2017, Bettencourt era a mulher mais rica do mundo e ocupava o 14º lugar no ranking geral dos mais ricos.

Tinha também em suas mãos a segunda maior fortuna da França, atrás de Bernard Arnault, presidente do grupo de luxo LVMH.

Vítima do mal de Alzheimer e posta sob tutela, ela estava afastada da vida pública desde 2012, ano em que deixou o conselho administrativo da L'Oréal e qualquer papel de liderança dentro do grupo.

A holding familiar Thétys é a acionista majoritária da L'Oréal, com 33,05% em 31 de dezembro de 2016. Thétys é presidida pela filha, Françoise, mas Liliane Bettencourt conservava o usufruto.

- Batalha judicial -

Nos últimos dez anos, Liliane Bettencourt esteve no centro de uma batalha judicial que fez com que seus conflitos familiares se tornassem de conhecimento público.

O caso principal do que se conhece como "dossiê Bettencourt" se baseou em acusações de "abuso de confiança".

No final de 2007, Françoise Bettencourt Meyers acusou o fotógrafo François-Marie Banier, amigo íntimo da milionária, de ter se aproveitado da vulnerabilidade da sua mãe para obter centenas de milhões de euros de doações.

Banier foi condenado em apelação, em 24 de agosto de 2016, a quatro anos de prisão e 375.000 euros de multa por ter enriquecido de forma abusiva.

Em outro episódio do caso Bettencourt, o político e ex-ministro Eric Woerth, ex-tesoureiro do partido do ex-presidente Nicolas Sarkozy, UMP (agora LR), foi acusado de tráfico de influências, mas foi declarado inocente.

Nascida em 21 de outubro de 1922, em Paris, Liliane foi educada com rigor, nos dominicanos. Sua mãe, pianista, faleceu quando ela tinha cinco anos.

Dez anos depois, ela dava seus primeiros passos na L'Oréal. Bettencourt era considerada depositária da obra de seu pai, Eugène Schueller, fundador da empresa.

O grupo, um verdadeiro império de cosméticos, que hoje comercializa maquiagem, cremes e shampoos no mundo todo, com um faturamento de 25,8 bilhões de euros em 2016, emprega cerca de 90.000 pessoas.

Em um comunicado separado, o CEO da L'Oréal, Jean-Paul Agon, manifestou sua "imensa tristeza" pelo falecimento de Bettencourt.

"Todos nós admirávamos profundamente Liliane Bettencourt, que sempre velou pela L'Oréal, a empresa e seus colaboradores, e que estava muito comprometida com seu sucesso e desenvolvimento", acrescentou Agon.

"Neste momento doloroso para nós, gostaria de reiterar, em nome da nossa família, todo o nosso apego e lealdade à L'Oréal e renovar minha confiança em seu presidente, Jean-Paul Agon, e suas equipes no mundo todo", indicou Françoise Bettencourt Meyers.

Neuer Inhalt

Horizontal Line


subscription form

formulário para solicitar a newsletter

Assine a newsletter da swissinfo.ch e receba diretamente os nossos melhores artigos.

swissinfo.ch

Banner da página Facebook da swissinfo.ch em português

AFP