Conteúdo externo

O seguinte conteúdo vem de parceiros externos. Nós não podemos garantir que esse conteúdo seja exibido sem barreiras.

(Arquivo) Larvas do mosquito Aedes aegypti são vistas em Miami, no dia 7 de junho de 2016

(afp_tickers)

Mosquitos capturados em Miami deram positivo para zika, o que confirma definitivamente que este vírus está sendo transmitido ativamente nos Estados Unidos continental, informaram autoridades na quinta-feira.

As amostras dos mosquitos que deram positivo foram recolhidas em uma pequena zona de Miami Beach, uma ilha turística diante do litoral da cidade de Miami, no estado da Flórida, onde já tinham sido identificados casos de pessoas infectadas localmente pelo vírus.

Mas os cientistas não podiam dizer com certeza absoluta que o zika estava se propagando localmente antes de encontrarem mosquitos infectados pelo vírus.

"Isto é decepcionante, mas não surpreendente", afirmou o comissário do Departamento de Agricultura da Flórida, Adam Putnam, em um comunicado.

Em meados de agosto foram detectados os primeiros casos de zika autóctones em Miami Beach, o que estendeu o vírus para o coração turístico da Flórida.

O zika já tinha sido detectado, no final de julho, em um bairro no norte de Miami, Wynwood. Está presente, ainda, nos condados de Palm Beach e Pinellas.

Os Centros de Controle e Prevenção de Doenças (CDC) recomendaram às mulheres grávidas que evitem as zonas afetadas, visto que o zika pode causar malformações congênitas em fetos em desenvolvimento, como a microcefalia.

Segundo o Departamento de Saúde da Flórida, o estado já registra 656 casos de zika, 80 deles em mulheres grávidas, todos em pessoas que contraíram o vírus durante viagens ao exterior, além dos 49 casos contabilizados de indivíduos infectados localmente.

Neuer Inhalt

Horizontal Line


subscription form

formulário para solicitar a newsletter

Assine a newsletter da swissinfo.ch e receba diretamente os nossos melhores artigos.

swissinfo.ch

Banner da página Facebook da swissinfo.ch em português

AFP