AFP

(Arquivo) O partido foi fundado pelo comediante italiano Beppe Grillo

(afp_tickers)

O Movimento 5 Estrelas (M5S) foi o grande perdedor das eleições municipais parciais na Itália, ao ficar de fora do segundo turno na maioria das grandes cidades que votaram neste domingo.

Um ano depois das vitórias de suas candidatas Virginia Raggi em Roma e Chiara Appendino em Turim, o partido criado pelo comediante Beppe Grillo sofreu uma grande derrota.

O primeiro ano de mandato Virginia Raggi foi marcado por pedidos de demissão em sua equipe e casos de corrupção.

Nas municipais parciais deste ano, o M5S não vai disputar o segundo turno em nenhuma das principais cidades em disputa: Genova (norte), Palermo (Sicília, sul, Catanzaro (Calabria, sul), L'Aquila (centro) e Verona (norte).

O resultado de Genova é um revés particularmente duro para Beppe Grillo, genovês, que encerrou nesta cidade sua campanha eleitoral. Um candidato de centro-direita e outro de centro-esquerda disputarão a prefeitura dentro de duas semanas.

"Todo mundo se regozija expondo análises refinadas sobre a morte do M5S. Mantenham esta ilusão para dormir mais tranquilamente. Nós continuamos nosso caminho reto", escreveu Beppe Grillo em seu blog.

Como o M5S estará presente no segundo turno de uma dezena de municípios, contra apenas cinco nas municipais de 2012, Beppe Grillo acredita que está acontecendo um "crescimento lento mas inexorável".

As eleições municipais parciais do ano passado terminaram com uma terrível derrota para o Partido Democrata (PD) do então primeiro-ministro Matteo Renzi. As votações foram marcadas pelas vitórias espetaculares do M5S em Turim e Roma.

A nível nacional, o M5S está empatado nas pesquisas com o PD com quase 30% das intenções de voto. As municipais parciais são o último teste antes das eleições legislativas de fevereiro de 2018.

AFP

 AFP