Navigation

MP peruano faz buscas em escritório de advogado ligado a Keiko Fujimori

Keiko Fujimori após ser liberada de sua primeira prisão preventiva, em 17 de outubro de 2018 em Lima afp_tickers
Este conteúdo foi publicado em 20. novembro 2018 - 20:30
(AFP)

Procuradores peruanos fizeram operações de busca e apreensão nesta terça-feira em um escritório de advogados ligado à líder opositora Keiko Fujimori, no âmbito das investigações das supostas propinas pagas pela construtora brasileira Odebrecht para seu partido.

"Vamos revisar registros contábeis e administrativos do Escritório Oré Guardia para corroborar se deste local foram pagos advogados que agiram para coagir a vontade de testemunhas ou de acusados", disse à imprensa o procurador de lavagem de dinheiro, José Domingo Pérez, que liderou a operação.

O Ministério Público se ampara em uma resolução do juiz Richard Concepción Carhuancho, que decretou prisão preventiva a Keiko Fujimori por 36 meses em 31 de outubro.

Existem "elementos de condenação suficientes (...) quanto à perturbação da investigação da verdade pelo advogado Edward García Navarro", afirmou o juiz para justificar a ação.

O advogado defende Keiko Fujimori e José Chlimper, ex-secretário-geral do partido fujimorista Fuerza Popular, destacou a imprensa local.

Segundo o MP, o escritório de advocacia "coagiu testemunhas" e manipulou depoimentos dos supostos contribuintes disfarçados para "darem declarações imprecisas", a fim de afetar as investigações.

Este artigo foi automaticamente importado do nosso antigo site para o novo. Se há problemas com sua visualização, pedimos desculpas pelo inconveniente. Por favor, relate o problema ao seguinte endereço: community-feedback@swissinfo.ch

Partilhar este artigo

Participe da discussão

Com uma conta SWI, você pode contribuir com comentários em nosso site.

Faça o login ou registre-se aqui.