Conteúdo externo

O seguinte conteúdo vem de parceiros externos. Nós não podemos garantir que esse conteúdo seja exibido sem barreiras.

"A amplitude da mudança precisa de uma atenção urgente", previne Anders Levermann, pesquisador no PIK

(afp_tickers)

Os dilúvios podem se multiplicar abruptamente na região africana do Sahel por conta das mudanças climáticas que alteram o regime de monções, segundo um estudo publicado nesta quarta-feira.

O aquecimento poderá provocar a chegada repentina de uma temporada de chuvas muito intensas sobre a região, uma vez superada a barreira dos +2º, inclusive de +1,5º, em relação à temperatura registrada durante a era pré-industrial, indicam estas pesquisas baseadas em simulações e publicadas pela revista Earth System Dynamics.

"Apesar dos possíveis benefícios [em certos aspectos] de passar deste ponto, a mudança poderia ser tão grande que se transformaria em um desafio de adaptação maior para essa região, que por si só já é instável", destaca em um comunicado o Postdam Institute for Climate Impact Research (PIK).

"A amplitude da mudança precisa de uma atenção urgente", previne Anders Levermann, pesquisador no PIK.

O centro do Mali, Niger e Chade poderiam receber tanta água quanto o norte de Camarões ou o centro da Nigéria atualmente, caracterizados por seu clima tropical.

Esta mudança está relacionada ao aquecimento dos oceanos vizinhos, tanto que o vento monção proveniente do Atlântico se reforça e vai para o norte. A chuva, por sua vez, atenua o calor quando despenca, convertendo o processo em um círculo vicioso.

As tempestades na região do Sahel estão "entre as mais explosivas do planeta", destacam os pesquisadores, insistindo sobre o risco de inundações e do impacto na saúde em cidades muitas vezes desprovidas de infraestrutura mínima, além de prejudicar a agricultura.

O Sahel é uma frágil região que foi castigada por uma seca histórica durante 20 anos, entre as décadas de 1970-1980.

AFP