Conteúdo externo

O seguinte conteúdo vem de parceiros externos. Nós não podemos garantir que esse conteúdo seja exibido sem barreiras.

Mitzy Capriles participa de entrevista coletiva em Madri

(afp_tickers)

A mulher do prefeito de Caracas, Antonio Ledezma, um dos principais opositores venezuelanos, preso na madrugada desta terça-feira, pediu ajuda ao mundo durante uma coletiva de imprensa em Madri.

"Fomos informados que Antonio será mandado à prisão militar de Ramo Verde (20 km de Caracas), mesmo que a família não tenha sido oficialmente informada", declarou Mitzy Capriles, que cobrou novas sanções econômicas contra o seu país.

"Estamos em profunda agonia" após este "sequestro", afirmou, sentada ao lado da filha mais nova do casal, Antonieta.

Antonio Ledezma, de 62 anos, e o famoso opositor Leopoldo López, voltaram a ser presos em suas casas onde cumpriam pena de prisão domiciliar. Ambos pediram que os venezuelanos não votassem no domingo na Assembleia Constituinte convocada pelo presidente Nicolás Maduro.

Em um comunicado, a Corte Suprema venezuelana assegurou que os opositores foram presos porque planejavam fugir em razão de suas declarações políticas.

Mitzy Capriles, que deve retornar à Venezuela nos próximas dias, pediu que a Espanha e outros países apoiem a oposição.

"Irmãos do mundo inteiro, por favor, olhem para o nosso país (...) precisamos que vocês adotem uma posição firme contra a narcoditadura" na Venezuela, declarou.

AFP