Conteúdo externo

O seguinte conteúdo vem de parceiros externos. Nós não podemos garantir que esse conteúdo seja exibido sem barreiras.

O rapper americano Nelly, em um show em Nova York em 30 de abril de 2017.

(afp_tickers)

Uma mulher que acusou o rapper americano Nelly de estupro pediu o arquivamento dos processos que apresentou contra o músico, explicando que não se sente segura devido à repercussão midiática do caso.

Nelly, de 42 anos, foi detido em 7 de outubro nos Estados Unidos, acusado de estupro, e depois foi posto em liberdade sem acusações.

Uma advogada da mulher anunciou, neste fim de semana, que sua cliente pediu às autoridades que não processem o rapper e acrescentou que ela se negaria a testemunhar.

Segundo a advogada, Karen Koehler, sua cliente não pode proteger sua privacidade, "e não aguenta mais" esta situação. Além disso, "as pessoas estão dizendo coisas horríveis" sobre ela.

"Não vivemos em uma sociedade onde uma estudante universitária de 21 anos pode se sentir segura o suficiente para manter acusações penais contra uma celebridade por um suposto estupro", disse Koehler.

A mulher tinha acusado Nelly, cujo nome verdadeiro é Cornell Haynes Jr, de abusar sexualmente dela no ônibus da sua turnê após um show na cidade de Auburn, perto de Seattle, no estado de Washington (noroeste). O rapper foi preso nesse estado.

"Confio em que, uma vez que os fatos tenham sido analisados, se verá claramente que sou vítima de acusações falsas", escreveu Nelly no Instagram.

Neuer Inhalt

Horizontal Line


subscription form

formulário para solicitar a newsletter

Assine a newsletter da swissinfo.ch e receba diretamente os nossos melhores artigos.

swissinfo.ch

Banner da página Facebook da swissinfo.ch em português

AFP