AFP

Os estrangeiros que desejam escalar o Everest (8.848 metros) precisam pagar uma permissão que custa 11.000 dólares.

(afp_tickers)

Um sul-africano que tentou escalar o Everest sem autorização oficial foi obrigado a abandonar sua aventura a pedido das autoridades nepalesas e terá que pagar uma multa de 22.000 dólares, anunciou uma fonte do governo.

Ryan Sean Davy, 43 anos, conseguiu, de acordo com sua própria versão, chegar ao Campo 2 (a 6.400 metros de altura), antes da descoberta de sua tentativa.

Os estrangeiros que desejam escalar o Everest (8.848 metros) precisam pagar uma permissão que custa 11.000 dólares. A medida serve para o Nepal, um dos países mais pobres do mundo, controlar o número de visitas e obter uma renda.

O sul-africano não pagou a permissão e tentava escalar em segredo, evitando as demais expedições.

"Eu o vi perto do campo base, me aproximei e ele fugiu", explicou à AFP Gyanendra Shresth, funcionário do governo no campo base do Everest.

"Eu o segui com um amigo e o encontrei escondido em uma caverna próxima (...) Havia instalado sua barraca em um local isolado para evitar as responsabilidades do governo", completou.

As autoridades confiscaram o passaporte de Davy, que corre o risco de ser impedido de entrar no país durante cinco anos ou a uma proibição de praticar o alpinismo durante 10 anos.

AFP

 AFP