AFP

UO ator Leonardo DiCaprio (C) exibe cartaz durante marcha pela Avenida Pensilvânia, em Washington

(afp_tickers)

Dezenas de milhares de americanos marcharam neste sábado, em Washington, do Capitólio (Congresso) até a Casa Branca para exaltar a importância da luta contra o aquecimento global e denunciar os retrocessos demonstrados pelo presidente Donald Trump neste tema.

A "Marcha pelo Clima" foi celebrada sob um clima quente, quando se completa 100 dias de Trump na Presidência, com muitas palavras de ordem e críticas de manifestantes de todas as idades, que protestaram contra a política do republicano, que nega o aquecimento global.

O astro hollywoodiano Leonardo DiCaprio participou da marcha em meio a um grupo de indígenas americanos, precedido por um cartaz que dizia "As mudanças climáticas são reais".

"Trump dá marcha a ré sobre as leis aprovadas, fala do Acordo de Paris (sobre o clima, assinado em dezembro de 2015), tenta reviver o petróleo e o carvão em um momento em que estão em declínio, faz tudo o contrário do que se deve fazer", disse à AFP Robert Siegel, um engenheiro que trabalha em tecnologias para limpeza do ar e que veio de Nova York para participar do evento.

Alguns cartazes traziam dizeres de protesto que adaptaram o lema de Trump durante sua campanha - "Vamos fazer os Estados Unidos grandes novamente" - em versões como "Vamos fazer os Estados Unidos geniais novamente" e "Vamos fazer os Estados Unidos inteligentes novamente".

Outros cartazes lembravam os custos ambientais e econômicos dos frequentes fins de semana que o bilionário passa na Flórida, acrescentando que sua mansão, em Mar-a-Lago, está ameaçada pela elevação do nível do mar.

AFP

 AFP