Conteúdo externo

O seguinte conteúdo vem de parceiros externos. Nós não podemos garantir que esse conteúdo seja exibido sem barreiras.

Imagem da NASA de do planeta Marte, obtida em 21 de março de 2017

(afp_tickers)

O primeiro teste da cápsula espacial Orion, projetada para um dia transportar pessoas até Marte e que devia ser realizado em novembro de 2018, foi adiado pelo menos até 2019 por razões de custos, anunciou a Nasa nesta sexta-feira.

Este primeiro teste, que seria feito sem tripulação, foi rejeitado porque a Casa Branca solicitou um estudo de viabilidade relacionado aos custos, à segurança e às restrições técnicas.

A Nasa também decidiu contra a proposta de embarcar astronautas na primeira missão, denominada EM-1.

A agência espacial americana, no entanto, mantém seu programa inicial, que tem previsto levar a tripulação no segundo teste (EM-2), aguardado para agosto de 2021.

Mas este segundo voo também será adiado, provavelmente, disse Bill Gerstenmaier, um encarregado da agência espacial.

Gerstenmaier informou que vários elementos levaram ao adiamento da data do primeiro voo, entre eles a preocupação com os custos, o desejo de melhorar o escudo térmico da cápsula e a incorporação de equipamentos de sobrevivência na nave.

A Nasa está construindo o foguete mais potente do mundo, o Space Launch System (SLS), para enviar o Orion perto da Lua e que voe dali até Marte.

A decisão de adiar o voo EM-1 foi tomada em coordenação com a Casa Branca, segundo funcionários da Nasa.

subscription form

formulário para solicitar a newsletter

Assine a newsletter da swissinfo.ch e receba diretamente os nossos melhores artigos.

AFP