Conteúdo externo

O seguinte conteúdo vem de parceiros externos. Nós não podemos garantir que esse conteúdo seja exibido sem barreiras.

Uma ilustração da Nasa mostra o disco voador, conhecido como Low-Density Supersonic Decelerator (LDSD)

(afp_tickers)

A agência espacial dos Estados Unidos (Nasa) planeja testar o maior para-quedas já lançado nesta quarta-feira durante o lançamento de um disco voador que irá testar novas tecnologias para a aterragem em Marte.

O voo de teste do disco voador, conhecido como Low-Density Supersonic Decelerator (LDSD), será transmitido ao vivo pelo site da Nasa a partir das 14h30.

Já que a atmosfera de Marte é tão fina, qualquer para-quedas que ajude uma espaçonave pesada, de rápido movimento, precisa ser mais forte.

A agência espacial norte-americana descobriu como fazer isso há décadas, começando com a missão Viking que colocou duas sondas em Marte em 1976.

Mas com o objetivo de enviar seres humanos a Marte em 2030, a agência está testando agora um para-quedas mais avançado, feito com tecnologia de nova geração, conhecido como para-quedas Supersonic Ringsail - que poderia permitir que naves ainda mais pesadas pousem suavemente.

"Queremos ver se o pouso pode implantar e desacelerar o veículo de teste enquanto ele estiver em voo supersônico", explicou o Laboratório de Propulsão a Jato da Nasa em um comunicado.

O veículo de teste pesa 3.088 quilos, ou cerca de duas vezes o peso das naves robóticas que a Nasa costuma usar para pousar com segurança em Marte.

O para-quedas, descrito pela Nasa JPL como "o maior para-quedas já implantado", tem 30 metros de diâmetro.

O objetivo é que a queda "retarde a entrada do veículo para velocidades subsônicas", disse a Nasa.

O teste vai consistir no envio do disco, um desacelerador em forma de tubo e o para-quedas a uma altitude de 37 quilômetros sobre o Oceano Pacífico com a ajuda de um balão gigante.

O balão vai lançar a espaçonave e foguetes vão levantar o veículo ainda maior para 55 quilômetros, atingindo velocidades supersônicas.

"Viajando em três vezes a velocidade do som, o desacelerador do disco irá inflar, retardando o veículo, e, em seguida, um para-quedas vai implantar em 2,35 vezes a velocidade do som para levá-lo para a superfície do oceano", disse a Nasa.

O primeiro voo de teste do disco voador foi em junho de 2014, e um outro voo de teste está previsto para 2016.

AFP