Conteúdo externo

O seguinte conteúdo vem de parceiros externos. Nós não podemos garantir que esse conteúdo seja exibido sem barreiras.

A nave espacial Soyuz levanta voo da plataforma de lançamento no Cazaquistão, no dia 22 de julho de 2015

(afp_tickers)

Três astronautas se dirigem à Estação Espacial Internacional (ISS) a bordo de uma nave espacial Soyuz que partiu do cosmódromo de Baikonur, no Cazaquistão, após dois meses de atraso por causa de uma falha técnica.

A nave Soyuz decolou de Baikonur às 18h03 (de Brasília), tripulada pelo cosmonauta Oleg Kononenko, o astronauta da Nasa Kjell Lindgren e o japonês Kimiya Yui.

A agência espacial russa Roscosmos anunciou em comunicado que a terceira seção do foguete Soyuz se separou a tempo do lançador e que a tripulação "está bem".

"Tudo ocorreu bem e de acordo com o previsto", afirmou o cosmonauta Fyodor Yurchikhin, que comentou o lançamento da cápsula em tempo real para a televisão russa.

Esta lançamento era muito aguardado após o fracasso no mês de abril, durante a decolagem, da nave de carga Progress, que transportava equipamento para a estação espacial internacional e obrigou as autoridades russas a adiar a partida dos três astronautas para a ISS, inicialmente prevista para final de maio.

A carga perdeu o controle com a Terra e queimou na atmosfera por uma falha no lançador, de acordo com as autoridades russas.

Este incidente fez com que os três astronautas que estavam na ISS tivessem que esperar um mês antes de retornar à Terra, em 11 de junho.

O novo trio de astronautas deve chegar à ISS em menos de seis horas, segundo o programa, para completar uma missão espacial de 163 dias.

A tripulação escolheu como mascote para esta viagem o robô R2-D2, um dos personagens icônicos de "Star Wars", que servirá como um indicador da saída do campo de gravidade terrestre quando começar a flutuar na ausência de gravidade.

Na ISS, os astronautas devem realizar vários experimentos científicos, relacionados principalmente com o controle de robôs à distância.

A bordo da estação esperam por eles os russos Gennady Padalka e Mikhail Kornienko e o astronauta da Nasa Scott Kelly.

Oleg Kononenko prometeu estudar o "comportamento das bolhas de sabão", a pedido de jovens aficionados em temas espaciais.

A Rússia traz para a ISS seu módulo principal, onde estão localizados os motores de foguetes, e as naves Soyuz são as únicas que podem transportar as tripulações da estação espacial, desde o cancelamento do programa de ônibus espaciais norte-americanos.

Dezesseis países participam da ISS, posto avançado e laboratório em órbita desde 1998 que tem um custo total de 100 bilhões de dólares, financiados principalmente pela Rússia e pelos Estados Unidos.

AFP