O primeiro-ministro da Etiópia, Abiy Ahmed, se declarou honrado e feliz pelo Prêmio Nobel da Paz concedido a ele nesta sexta-feira, e agradeceu ao "prêmio dado à África".

"Imagino que outros líderes na África pensem que é possível trabalhar nos processos de construção da paz em nosso continente", disse o jovem líder etíope em uma breve conversa por telefone com a organização Nobel, que postou suas palavras na internet.

Ahmed, artífice da grande reconciliação entre seu país e a Eritreia, foi anunciado nesta sexta-feira como o vencedor do Prêmio Nobel da Paz.

Abiy, 43 anos, recebe o prêmio "por seus esforços para alcançar a paz e pela cooperação internacional, particularmente por sua iniciativa decisiva destinada a solucionar o conflito na fronteira com a Eritreia", declarou a presidente do Comitê Norueguês do Nobel, Berit Reiss-Andersen.

O prêmio significará um impulso para o governante, que enfrenta uma onda crescente de violência entre diferentes grupos em seu país, onde estão previstas eleições legislativas em maio de 2020.

Palavras-chave

Neuer Inhalt

Horizontal Line


Teaser Instagram

Siga-nos no Instagram

Siga-nos no Instagram

subscription form

formulário para solicitar a newsletter

Assine a newsletter da swissinfo.ch e receba diretamente os nossos melhores artigos.