AFP

O príncipe William (E) conversa com o chefe de polícia Ian Hopkins antes de uma reunião com agentes na sede central da polícia de Manchester em 2 de junho

(afp_tickers)

A polícia de Manchester anunciou neste sábado a detenção de um homem de 24 anos no âmbito da investigação sobre o atentado de 22 de maio que deixo 22 mortos.

Esta é a 17ª detenção no bairro de Rusholme, sudeste de Manchester.

Salman Abedi, britânico de origem líbia de 22 anos, detonou uma carga explosiva ao final de um show da cantora americana Ariana Grande na Manchester Arena.

O atentado, reivindicado pelo grupo extremista Estado Islâmico (EI), foi o mais violento no Reino Unido desde os ataques contra os transportes públicos de Londres em 2005, que deixaram 52 mortos.

Dos 17 detidos, 11 permanecem sob custódia e seis foram liberados.

Na quinta-feira, os investigadores de Manchester informaram que o trabalho avançava e explicaram que Salman Abedi "saiu do Reino Unido em 15 de maio e retornou no dia 18".

Uma fonte próxima à família disse à AFP que Abedi esteve na Líbia alguns dias antes do atentado.

A polícia da Alemanha informou que Abedi passou pelo aeroporto de Dusseldorf.

"Comprou componentes da bomba depois de seu retorno", disse Russ Jackson, um dos comandantes da polícia de Manchester.

O pai e um irmão de Salman Abedi foram detidos na Líbia, onde as autoridades os acusam de integrar o grupo Estado Islâmico.

No domingo, a cidade de Manchester organizará um grande show beneficente para as vítimas dos atentados.

Além de Ariane Grande, o show terá as participações de Robbie Williams e seu grupo Take That, Black Eyed Peas, Katy Perry, Coldplay, Justin Bieber, Pharrell Williams e Miley Cyrus.

O dinheiro arrecadado será destinado ao fundo de ajuda às famílias das vítimas dos atentados.

AFP

 AFP