AFP

O chef Daniel Humm, do Eleven Madison Park em Nova York

(afp_tickers)

O restaurante de comida contemporânea nova-iorquino Eleven Madison Park, dirigido pelo chef suíço Daniel Humm, foi eleito o melhor do mundo de 2017 em uma cerimônia realizada em Melbourne, relegando ao segundo lugar o vencedor do ano passado, o italiano Osteria Francescana.

Entre os 10 primeiros da lista dos 50 melhores restaurantes do mundo - prêmios The World's 50 Best, entregues pela revista Restaurant e considerados o Oscar da gastronomia - há três espanhóis e dois peruanos.

Humm, que foi elogiado pelo seu excelente menu inspirado nas colheitas agrícolas de Nova York e nas tradições culinárias da cidade, disse estar "muito orgulhoso" e "cheio de alegria".

"Quando comecei a cozinhar, há 25 anos, nem nos meus sonhos mais loucos teria pensado que me encontraria nesta posição", acrescentou. "É um momento incrível para ser chef".

Os restaurantes espanhóis na lista dos dez melhores são o catalão El Celler de Can Roca (Girona), dos irmãos Roca, que ficou em 3º lugar; o Asador Etxebarri (Axpe, Bilbao), liderado por Victor Arguinzoniz, na 6º posição; e Mugaritz (San Sebastián), de Andoni Luis Aduriz, o 9º melhor do mundo.

O dois restaurantes peruanos no Top 10 são o Central (5º), de Virgilio Martínez e o Maido (8º), do chef Mitsuharu 'Micha' Tsumura, ambos em Lima.

Também entraram no ranking o francês Mirazur (4º), o tailandês Gaggan (7º) e o austríaco Steirereck (10º).

A França e os Estados Unidos têm seis e cinco restaurantes, respectivamente, no Top 50. Reino Unido, China e Cingapura também estão nesta lista.

D.O.M., do chef Alex Atala, ficou em 16º lugar e é o único restaurante brasileiro a figurar no ranking '50 Best'.

"Apenas começando"

Nos prêmios individuais, o espanhol Disfrutar, de Barcelona, ganhou o prêmio 'One to Watch', e Ana Ros, do restaurante Hisa Franko, na Eslovênia, foi laureada com o título de melhor chef mulher do mundo.

O prêmio de melhor confeiteiro foi para o chef francês Dominique Ansel - conhecido como o rei dos 'cronuts' - e sua padaria em Nova York. O restaurante Septime, na França, levou o prêmio de sustentabilidade.

O chef peruano Virgilio Martínez, do restaurante premiado Central, ganhou também o 'Chef's Choice Award', votado por seus colegas de profissão.

O aclamado chef britânico Heston Blumenthal, cujo restaurante The Fat Duck ganhou o prêmio principal em edições anteriores, recebeu o prêmio de melhor trajetória.

"Muitos dos melhores restaurantes do mundo usam métodos derivados da pesquisa inovadora de Blumenthal e sua equipe", disseram os organizadores.

Blumenthal, que levou suas receitas a milhões de pessoas através de programas de televisão transmitidos em vários países, disse que não tem planos de parar.

"Considero os últimos 20 anos um aprendizado", afirmou. "Estou apenas começando".

Estes prêmios, concedidos pela revista Restaurant, começaram em 2002 e se tornaram uma referência mundial para os amantes da gastronomia, embora tenham sido alvo, em 2015, de acusações de acordos entre os restaurantes e os membros do júri.

O júri agora é formado por cerca de 1.000 "especialistas independentes", entre eles críticos, chefs, proprietários de restaurantes e gourmets.

AFP

 AFP