Conteúdo externo

O seguinte conteúdo vem de parceiros externos. Nós não podemos garantir que esse conteúdo seja exibido sem barreiras.

Estima-se que existam cerca de dois milhões de ratos em Nova York

(afp_tickers)

Desesperada por resultados em sua guerra contra os ratos, Nova York anunciou nesta quarta-feira um plano de 32 milhões de dólares para reduzir a população destes animais com latas de lixo à prova de roedores e regras mais severas sobre o descarte de dejetos.

A grande quantidade de ratos é um dos aspectos menos agradáveis da capital financeira e cultural do mundo, uma ameaça diária que corre entre os trilhos do metrô e o lixo colocado nas ruas antes de ser recolhido.

Charles Dickens já havia se queixado dos ratos quando visitou Nova York em 1842, e no ano passado o Departamento de Saúde recebeu um recorde de 31.362 denúncias relacionadas a estes roedores.

Este novo plano busca diminuir a população de ratos em 70% privando-os de alimento, e trabalhará em conjunto com os programas de extermínio que já estão em vigor.

Também elevarão o valor das multas para empresas privadas que colocarem o lixo nas ruas de forma ilegal de 1.500 para 5.000 dólares, e as faltas reiteradas serão multadas em 20.000 dólares.

As novas medidas serão implementadas em Chinatown e em outros locais do centro de Manhattan, além de partes do Brooklyn. Se este plano for bem-sucedido, será ampliado para outras áreas da cidade.

Estima-se que existam cerca de dois milhões de ratos em Nova York.

AFP