Conteúdo externo

O seguinte conteúdo vem de parceiros externos. Nós não podemos garantir que esse conteúdo seja exibido sem barreiras.

A operação, realizada às 15H00 locais (10H00 de Brasília) 160 km a oeste de Mogadíscio, foi lançada em coordenação com o governo somali, ressaltou o comando militar americano na África (AFRICOM)

(afp_tickers)

Os Estados Unidos anunciaram nesta quinta-feira (9) ter lançado um ataque contra os radicais islamitas shebab, aliados da Al Qaeda, no qual morreram vários jihadistas.

A operação, realizada às 15H00 locais (10H00 de Brasília) 160 km a oeste de Mogadíscio, foi lançada em coordenação com o governo somali, ressaltou o comando militar americano na África (AFRICOM).

O exército americano "seguirá utilizando todos os meios autorizados e apropriados" para lutar contra o terrorismo, especialmente "atingir terroristas, seus campos de treinamento e seus esconderijos na Somália, na região e no mundo", indicou a AFRICOM em um comunicado.

Os Estados Unidos haviam anunciado na semana passada ter atacado os extremistas do grupo Estado Islâmico (EI) pela primeira vez neste país.

Em março, o presidente Donald Trump outorgou um cheque em branco ao seu secretário de Defesa e os militares para realizar operações antiterroristas - aéreas ou terrestres - na Somália para apoiar o governo somali.

Os shebab tentam desde 2007 depor o governo somali apoiado pela comunidade internacional e por 22.000 efetivos da força da União Africana na Somália (Amisom), mobilizada em 2007.

O Exército americano tem 400 efetivos no terreno na Somália e o Pentágono se mostrou preparado para reforçar seu apoio após o potente atentado que deixou em outubro ao menos 358 mortos e 228 feridos, o pior da história do país.

Neuer Inhalt

Horizontal Line


subscription form

formulário para solicitar a newsletter

Assine a newsletter da swissinfo.ch e receba diretamente os nossos melhores artigos.

swissinfo.ch

Banner da página Facebook da swissinfo.ch em português

AFP