Conteúdo externo

O seguinte conteúdo vem de parceiros externos. Nós não podemos garantir que esse conteúdo seja exibido sem barreiras.

Washington insistirá em um cessar-fogo, garantiu Obama, que encarregou seu secretário de Estado, John Kerry, desta árdua tarefa.

(afp_tickers)

O presidente americano, Barack Obama, pediu nesta sexta-feira ao movimento islâmico Hamas que mostre seriedade em seu compromisso de respeitar o cessar-fogo acordado com Israel.

"Acho que vai ser muito difícil voltar a instaurar um novo cessar-fogo, se os israelenses e a comunidade internacional não puderem confiar em um compromisso de cessar-fogo do Hamas", declarou Obama.

O presidente ressaltou que os Estados Unidos "condenam inequivocamente" o Hamas e os grupos palestinos responsáveis pelo assassinato de dois soldados israelenses e pelo sequestro de outro militar apenas alguns minutos após o anúncio da trégua.

"Quero ter certeza de que eles estão ouvindo", insistiu Obama.

"Se estão tentando, com seriedade, resolver essa situação, esse soldado deve ser libertado sem condições o quanto antes", declarou o presidente americano, em entrevista na Casa Branca.

Washington insistirá em um cessar-fogo, garantiu Obama, que encarregou seu secretário de Estado, John Kerry, desta árdua tarefa. "Foi persistente, trabalhou muito duro", elogiou Obama.

O presidente americano também pediu que sejam redobrados os esforços para proteger civis em Gaza, as principais vítimas desse conflito. Em 25 dias, mais de 1.600 palestinos morreram, além de 63 soldados israelenses e três civis em Israel.

"Fomos claros quanto a que os civis inocentes presos na linha de fogo devem pesar em nossa consciência e precisamos fazer mais para protegê-los", defendeu.

Em 8 de julho, Israel iniciou esta ofensiva para tentar pôr fim aos disparos de foguetes do Hamas e da Jihad Islâmica, assim como aos ataques cometidos em Israel por comandos infiltrados através de túneis.

AFP