AFP

O novo líder do Hamas, Ismail Haniyeh, anuncia seu apoio aos detentos palestinos em greve de fome nas prisões israelenses, em 8 de maio de 2017, em Gaza

(afp_tickers)

O novo líder do Hamas, Ismail Haniyeh, anunciou nesta segunda-feira (8) seu apoio às centenas de detentos palestinos em prisões israelenses, os quais estão em greve de fome - em suas primeiras declarações públicas desde sua eleição à frente do movimento islamita.

Durante visita a uma barraca montada em uma praça da Cidade de Gaza para manifestar solidariedade aos detentos, Haniyeh disse que apoia os grevistas.

"Essa visita é uma mensagem dirigida aos heroicos prisioneiros para lhes dizer que sua causa é e continuará sendo uma das mais altas prioridades", declarou.

"Sua liberdade é um dever nacional e emana tanto de sua dignidade quanto da nossa", completou.

Haniyeh, de 54 anos, foi eleito no sábado (6) para dirigir o gabinete político do Hamas, movimento islamita no poder na Faixa de Gaza e um dos maiores inimigos de Israel.

O movimento é considerado uma organização terrorista por Israel, Estados Unidos e pela União Europeia e mantém uma tensa relação com a Autoridade Palestina. Baseada na Cisjordânia ocupada, esta última conta com o reconhecimento da comunidade internacional.

Centenas de detentos palestinos - 860, segundo o governo israelense; 1.500, segundo as autoridades palestinas - estão em greve de fome desde 17 de abril. Eles reivindicam visitas médicas e de familiares, além de condições mais dignas de reclusão.

AFP

 AFP