Conteúdo externo

O seguinte conteúdo vem de parceiros externos. Nós não podemos garantir que esse conteúdo seja exibido sem barreiras.

(Julho) Especialista apaga um incêndio provocado pela queda de um foguete palestino em Kfar Aza

(afp_tickers)

O Exército israelense indicou nesta segunda-feira que ainda há missões a cumprir na Faixa de Gaza, ressaltando que vai manter suas tropas na região mesmo que considere concluída a sua missão de destruir os túneis inimigos.

"Não sairemos, vamos permanecer na Faixa de Gaza. Ainda temos muitas outras missões a concluir", declarou Moti Almoz, porta-voz do Exército ao canal israelense Channel-2.

Após nove dias de bombardeios aéreos a Faixa de Gaza, Israel lançou uma ofensiva terrestre em 17 de julho, com a missão de neutralizar os túneis subterrâneos utilizados pelo Hamas em suas operações de infiltração em território israelense.

"Todos os túneis identificados foram destruídos", assegurou o porta-voz militar. No entanto, "não é porque estamos falando sobre o final da missão contra os túneis, que estamos falando sobre o fim da operação em Gaza", ressaltou.

Sábado, o Exército israelense começou a retirar parte de seus soldados no enclave costeiro controlado pelo movimento palestino Hamas, sem especificar quantos.

Israel observou uma trégua humanitária nesta segunda-feira de sete horas, após a qual o primeiro-ministro Benjamin Netanyahu disse que a ofensiva na Faixa de Gaza continuaria até o "restabelecimento da segurança" para os israelenses, ignorando os apelos internacionais por um cessar-fogo.

No Cairo, o Egito, tradicional mediador no conflito entre o Hamas e Israel, tenta nesta segunda-feira à noite aprovar uma trégua de 72 horas em Gaza, que teria início na terça-feira, segundo uma autoridade palestina.

AFP