Conteúdo externo

O seguinte conteúdo vem de parceiros externos. Nós não podemos garantir que esse conteúdo seja exibido sem barreiras.

O príncipe herdeiro saudita Mohammed bin Salman, ao centro, em Riad, no dia 24 de outubro de 2017

(afp_tickers)

O príncipe herdeiro saudita, Mohamed bin Salman, defendeu os países islâmicos "moderados e tolerantes", e se comprometeu a "destruir o extremismo o mais rápido possível".

"Voltemos ao que éramos antes, um país islâmico moderado, tolerante, aberto ao mundo e a todas as outras religiões", declarou o príncipe durante uma conferência econômica em Riad.

Salman argumentou que a monarquia saudita havia abandonado a moderação em 1979, com o crescimento das correntes religiosas extremistas.

"Não passaremos mais 30 anos de nossas vidas aceitando ideias extremistas e vamos destruí-las agora", comentou.

"Vamos destruir o extremismo o mais rápido possível", insistiu o jovem príncipe, cujas palavras geraram aplausos do público que participava da conferência em Riad.

Sua intervenção, como uma autoridade saudita de alto nível, representa o mais direto ataque aos círculos religiosos conservadores do seu território.

Ele é considerado como a principal autoridade responsável pelo fim, em setembro, da proibição das mulheres sauditas a dirigir.

Neuer Inhalt

Horizontal Line


subscription form

formulário para solicitar a newsletter

Assine a newsletter da swissinfo.ch e receba diretamente os nossos melhores artigos.

swissinfo.ch

Banner da página Facebook da swissinfo.ch em português

AFP