Conteúdo externo

O seguinte conteúdo vem de parceiros externos. Nós não podemos garantir que esse conteúdo seja exibido sem barreiras.

O ex-presidente Barack Obama respondeu a um chamado para servir como jurado em um processo

(afp_tickers)

O ex-presidente Barack Obama respondeu nesta quarta-feira (8) a uma convocação para servir como jurado em um processo, ao se apresentar a um tribunal de Chicago para cumprir com este dever que todos os cidadãos dos Estados Unidos têm.

Foi o único a chegar em um comboio e a ser acompanhado por agentes de segurança e por uma multidão de jornalistas.

Como potencial jurado, Obama - ex-professor de Direito - se juntará a outros cidadãos na corte para ver se é selecionado para servir em um julgamento. Nesse caso, ganhará a compensação usual de 17,20 dólares por dia.

Antes de comparecer ao tribunal, o ex-presidente tuitou sobre a eleição de terça-feira, na qual os democratas ganharam governações e prefeituras importantes no que parece ser um repúdio às políticas de seu sucessor, Donald Trump.

"Isso é o que acontece quando as pessoas votam", escreveu Obama.

Obama não é o primeiro ex-presidente a se apresentar para cumprir este serviço, que muitos cidadãos tentam escapar. Seu antecessor na Casa Branca, George W. Bush, também compareceu a um chamado em 2015, mas não foi escolhido.

Chicago tem experiência com jurados conhecidos: em 2004 a magnata dos meios de comunicação Oprah Winfrey foi jurada de um julgamento por homicídio que durou três dias e acabou com uma condenação.

Embora a família Obama viva atualmente em Washington, o ex-presidente e sua esposa, Michelle, mantêm uma casa em Chicago, cidade onde ele começou sua carreira política.

Neuer Inhalt

Horizontal Line


subscription form

formulário para solicitar a newsletter

Assine a newsletter da swissinfo.ch e receba diretamente os nossos melhores artigos.

swissinfo.ch

Banner da página Facebook da swissinfo.ch em português

AFP